02 novembro, 2006

Na minha terra

Na minha terra
o céu não era
perfeito.
Não havia azul
a perder de vista,
nem sol a encher o peito.

Na minha terra
a lua não aparecia,
nem brilhavam
estrelas-guia.

Na minha terra
não havia verde:
nem dos que
bailam ao vento,
nem dos que cobrem
a terra quente.

Na minha terra
não havia fontes,
nem terra lavrada,
nem casas caiadas
à borda da estrada.

Mas na minha terra
havia gente,
gente como a gente,
de mãos pequenas,
pés na pressa
e olhos espertos.
Com a vida rasgada
no rosto.
Mas sempre
cantada em verso.

(M. Santos)

3 Comments:

At 12:58 da tarde, Blogger Rute said...

Na minha terra existem pessoas com coração d'oiro e sorriso resplandescente,
Pessoas com olhos meigos e abraços quentes,
Pessoas que transformam o nosso dia-a-dia ou toda a nossa vida,
Pessoas caricatas pessoas cabeça,
Pessoas didácticas, pessoas dramáticas,
Mas sobertudo pessoas como tu.. como eu.
Simples e que agradecem cada raio de sol, cada feição meiga.
Cada gota de água caida do orvalho,
Cada estrela cadente do céu.

Adorei o teu poema =)

 
At 7:53 da tarde, Anonymous Virginia said...

Tenho uma sobrinha poeta, é um privilégio! :) e amigas (os) da minha sobrinha igualmente poetas, na vida! :)
Mundo lindo, este!

 
At 6:32 da tarde, Blogger Ana Pena said...

"(...)mãos pequenas, pés na pressa, olhos espertos(...)"

Que bonito!

eram hobbits?

:)

 

Enviar um comentário

<< Home